Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Coisas que eu [não te] disse

Tudo o que não consigo dizer, escrevo.

Coisas que eu [não te] disse

Tudo o que não consigo dizer, escrevo.

V de Viver

jr-korpa-lBPtkH1Sel4-unsplash.jpg

Li que o dia de hoje é ideal para deixar para trás o que não deu certo.

Ideal para deixar o passado no sítio onde ele pertence. E por isso, hoje escolho deixar para trás as pessoas do meu passado que não fazem mais sentido. Comprometo-me comigo mesma a tentar afastar os pensamentos sempre que surgirem, a parar sempre que der por mim a pensar nos "e se" da vida.

Quem não quis ficar, quem não ficou porque fez outras escolhas ou porque eu escolhi um caminho diferente. Hoje eles ficam lá, no lugar onde pertencem. O meu passado. Agradeço a cada um deles, principalmente aos que mais têm persistido em ficar, aparecendo do nada em pensamentos obstinados. Agradeço por me terem dado o que deram, por me ensinarem o que ensinaram. Agradeço pelos momentos felizes. São esses momentos que escolho guardar, aqui numa gaveta fechada dentro do meu peito. Não vos quero mais no meu pensamento.

Obrigada furacão. Por me teres proporcionado a maior e mais louca paixão da minha vida até hoje. Obrigada campeão por me teres mostrado que mereço ser tratada como uma princesa, por me teres mimado, por me teres dado tanto carinho em tão pouco tempo.

Hoje vocês ficam para trás. De hoje em diante não vos quero na minha mente, à solta, a divagar à vossa real vontade. Não. A partir de hoje vocês vivem em mim guardados numa gaveta. É lá o vosso lugar. Na gaveta das coisas boas do passado.

Obrigada por tudo. Principalmente a ti, furacão. Serás sem dúvida o mais difícil de sossegar. Selvagem e rebelde, continuas a ser o que mais persiste em continuar aqui. Mas não pode ser. Não é aqui o teu lugar. É lá. No passado. Em cima daquela mota a 200km/h. Lá naquela falésia a ver o pôr do sol junto ao mar. Não voltes a fugir da gaveta, peço-te. Não me fazes bem como antes fazias. Foste o melhor e o pior da minha vida. Ainda há mágoa dentro de mim. Ainda não consigo olhar-te sem um pouco de raiva e ressentimento. Já consegui olhar para ti com gratidão mas depois voltou este sentimento de que estragas-te a minha vida por teres mudado a forma como vejo os homens. Chego a odiar-te por nenhum outro me fazer sentir o que tu fazias. Mas sei que a culpa não é tua. Quero acreditar que nunca foi tua intenção magoares-me. Que não me usaste. Sinto que tiveste tão apaixonado por mim quanto eu por ti. Quem sabe se é apenas ilusão? Só tu sabes. Mas hoje deixo-te para trás. Com a certeza de que te guardarei para sempre nesta gaveta reservada às pessoas especiais. Mas peço-te, por favor, fica aí dentro sossegado. Não saias mais. Deixa-me seguir como eu te deixei a ti. Não voltes a andar às voltas na minha cabeça. Não voltes a sair dessa gaveta.

Hoje digo-vos adeus. Hoje ficam no passado. Vocês e todas as pessoas que, de uma forma ou de outra, passaram na minha vida e não ficaram. Se cá não estão é porque existe um motivo para isso.

Adeus.

 

Fotografia: @jrkorpa

3 comentários

Comentar post