Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Coisas que eu [não te] disse

Tudo o que não consigo dizer, apenas escrever.

Coisas que eu [não te] disse

Tudo o que não consigo dizer, apenas escrever.

05
Mar20

Será que a vida sabe sempre onde é o nosso lugar?


V de Viver

Por vezes dou por mim a perguntar-me se a minha vida teria sido diferente se, em qualquer momento, no decorrer da mesma eu tivesse tomado uma decisão diferente.

Se tivesse, por exemplo, virado à esquerda em vez de virar à direita numa qualquer rua num dia qualquer.

Se tivesse sido outro o primeiro filme que vi no cinema ( foi o Sete Vidas com o Will Smith, já agora!)

Se tivesse estudado mais para um qualquer teste na secundária.

Se em vez de "A Lua de Joana", tivesse sido outro o meu primeiro livro. 

Se tivesse escolhido outra melhor amiga quando era criança.

Se tivesse sido outro rapaz a minha primeira paixoneta.

Se tivesse entrado na pastelaria do lado em vez de entrar naquela onde entrei naquele dia de chuva.

Se o meu primo favorito não fosse aquele que sempre foi.

Se em vez de uma irmã tivesse tido um irmão.

Se tivesse atendido certos telefonemas que não atendi, será que a vida tinha decorrido de outra forma?

Se o meu pai tivesse feito parte da minha vida.

Se, aos quinze anos, em vez da loucura de pintar o cabelo de preto com reflexos azuis tivesse optado por pintar de loiro, será que isso tinha mudado alguma coisa? 

Se em vez de gostar de carros gostasse de motas.

Se tivesse tido os quatro avós. Se os paternos tivessem feito parte da minha vida. 

Se em vez de gostar de ficar por casa fosse uma "festivaleira".

Se não fosse alta será que teria outro gosto por usar saltos altos?

Se tivesse uma mãe vaidosa será que também eu me teria tornado vaidosa?

Será que uma atitude diferente, em algum dia, poderia ter mantido os meus avós por cá mais tempo?

Se tivesse gostado mais de Playmobil do que de Barbies quando era pequena, será que teria hoje uma personalidade diferente?

Se a biblioteca da aldeia não fosse tão perto da minha casa, será que eu teria lido tantos livros nas longas tardes de verão da minha adolescência? E será que isso mudava alguma coisa na minha vida?

Se tivesse sido uma adolescente igual às outras será que não seria hoje uma adulta sem problemas de autoestima?

Se tivesse descoberto antes o que é o amor-próprio.

Se não tivesse mantido uma relação que durou nove anos.

Se não tivesse acabado essa relação.

Se tivesse andado, num determinado dia, no passeio do lado esquerdo em vez do direito.

Se não tivesse passado longas tardes a aprender a bordar ponto de cruz. 

Se tivesse dormido até tarde, certo dia.

Se não fosse uma pessoa de relações sérias.

Se tivesse visto mais televisão.

Se não tivesse errado, será que tinha aprendido?

Será que algum acontecimento, algum detalhe poderia ter mudado, completamente, a pessoa que eu sou? O rumo que a minha vida, e a dos que me rodeiam, tomou? Será que se tivesse feito uma pequena coisa diferente, estava onde estou? 

 

Digam-me, vocês nunca são assolados com questões deste tipo?

Nunca se perguntam se uma atitude diferente, em determinado dia, poderia ter mudado, completamente, o rumo da vossa vida?

 

4 comentários

Dizer o que penso disto

Quem é a V?

Coisas que se disseram por aqui

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Procure à vontade...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.