Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Coisas que eu [não te] disse

Tudo o que não consigo dizer, escrevo.

Coisas que eu [não te] disse

Tudo o que não consigo dizer, escrevo.

05 Dez, 2019

Um recado para mim

(Texto escrito a 10 de Outubro de 2019)

V de Viver

Só tu te podes encontrar. Só tu te podes ajudar. Deixa esse papel de coitadinha a quem a vida nunca ajudou muito. Nunca gostaste desse papel. Despe-o. Faz acontecer. Faz por ti. Encontra-te V. Esquece se o teu pai nunca te quis. Esquece se descobriste que, afinal, te incomoda não teres tido um pai.  Esquece, sabes porquê? Porque já não é possível emendar isso. Já cresceste sem essa figura. Já não podes voltar atrás. Esquece se ele não te ajudou, se não ajudou a tua mãe. Foi ele quem foi um filho da mãe. Tu não tiveste culpa. Esquece. É passado. Está lá atrás. Avança. Encontra-te. Tu estás algures aí dentro desse corpo que tu não gostas. Dentro do corpo que sempre quiseste mudar. E já agora, aceita-te! Sim, aceita-te tal como és. Aceita que já foste muito gorda e que é impossível ficares com o corpo de alguém que nunca lutou contra o excesso de peso. Mas não vejas isso com maus olhos. Não vejas isso como mais um infortúnio que a vida te concedeu. Afinal de contas tu tens um corpo. Não te falta nenhum orgão. És inteira e, de certa forma, saudável. Não, vê isso como aquilo que és. É assim e pronto. Aceita. Queres mudar? Muda! Foca-te nos teus objectivos e vai em frente. Sim. Tu sabes que consegues. Já conseguiste uma vez, não foi? Queres voltar a treinar? Volta. Foda-se, V. Sai desse buraco. Agora tens dores, mas talvez essas dores sirvam para veres que, afinal, não tinhas assim tantos motivos para reclamar da vida. E, raios V., tu reclamavas. Reclamavas muito, todos os dias do último ano. Acorda, V. Olha a tua volta, vê o que tens, vê onde chegaste. Dá valor a quem te ama, a quem te respeita. E os outros? Os outros manda foder! Se não são importantes para ti então a opinião deles também não pode pesar na tua vida. Olha para dentro, V. Olha para dentro e pergunta a ti mesma: o que queres? Sim, o que queres? O que te falta? Será que estás assim tão mal na vida? Olha à tua volta. Sim. Olha à tua volta mas vê, não olhes apenas. Já conquistaste muito. Não tens tudo porque não podes, ninguém pode ter tudo. Mas, foda-se, podes ser tudo! E és tudo. És suficiente, sim. És boa, sim. És fantástica, sim. Não podes ser melhor? Claro que podes. Mas o que és já é suficiente. Mas, sim claro, deves sempre procurar melhorar. Anda, sai desse poço. Sim, estás quase no topo, não voltes para baixo. Aguenta aí porque estás quase a ver a luz. Já consegues ver a luz não consegues, V? Mas habitua-te. Sim, habitua-te porque vais muitas vezes ver a escuridão. Vais muitas vezes acordar sem sol. Mas e então? A vida não é feita apenas de dias de sol. Também existem dias de chuva. Podes tê-los, e vais tê-los. Mas acredita que a maioria vão ser dias bons. E de uma vez por todas, V., aprende que a felicidade não é o destino. Não é um sítio. Não é um bem. A felicidade é o caminho, esse caminho que caminhas todos os dias. Esse caminho que pisas enquanto vais vivendo, enquanto os dias vão passando, enquanto a vida vai seguindo. Não é cliché, deves mesmo aproveitar todos os dias como se fossem o último. Sim, deves. E ama-te, V. Ama-te, foda-se!

2 comentários

Comentar post